O Grande Norte: As Tribos Wose

Os Wose são mais umas das varias etnias humanas existentes em Arton, muito familiares aos Tamurianos. Porem alguns antropólogos afirmam que são antigos descendentes dos Lamuth povo das Estepes, e que por algum motivo no passado migraram para as Ilhas Gélidas separando das demais tribos. Outros antropólogos dizem que são tribos que viviam no Norte de Tamu-ra, e que ao ver o crescimento do Império de Jade fugiram para as Ilhas Gélidas para não terem sua cultura anexada e submetida pela de Lin-Wu. Outros mais ousados dizem que eles descendem dos espíritos da Natureza. A única coisa certa deste povo é sua admiração e devoção aos Espíritos da Natureza.

Descrição Física.

Os homens mais velhos da vila gostam de manter grandes barbas, e em rituais religiosos usam uma coroa na cabeça, feita de madeira lapidada, este ornamento quase sempre possui uma figura de animal que veneram. Os Guerreiros da vila usam Lanças e Arcos para a caça, alguns poucos possuem a espada tradicional Emush, utilizada apenas em cerimonias para afastar maus espíritos. As mulheres usam um bordado na cabeça, colares e brincos, e também a grande maioria possui tatuagens no corpo, sendo mais freqüente em volta dos lábios, uma mulher Wose só é considerada adulta quando faz determinada tatuagem.

Suas roupas são feitas normalmente de penas, e peles de animais, eles ainda conseguem produzir tecido extraindo fibras de algumas plantas, na sua maioria os tecidos são brancos e eles o conseguem tingir normalmente em cores claras, suas roupas também possuem bordados, muitos dizem que os bordados em suas roupas é um tipo de reverencia aos espíritos.

 

Povo Wose

Povo Wose

Tendência.

As Tribos não possuem um sistema hierárquico complexo apenas obedecem ao líder, escolhido normalmente pelos homens mais velhos da Tribo, então dificilmente são leais. A maioria detesta as criaturas malignas, valorizam a vida e a bondade.

Xamãs Wose normalmente são os lideres da Tribo

Religião.

O lema deste povo é a cooperação entre Homem e Natureza, por isso reverenciam os espíritos da natureza que vive ao redor de sua comunidade, eles agradecem os deuses através de rituais de dança, e fazem rituais simulando combates para afastar os espíritos malignos.

Terra dos Wose

As tribos Wose são encontradas próximas às Montanhas Sanguinárias e no arquipélago gélido ao norte.

Suas Tribos dificilmente passam dos cem indivíduos, tentam sempre se estabelecer próximos aos rios para pesca e agua para suas plantações. Suas casas são rusticas feitas normalmente de palha, bambu e pedaços de madeira, por tradição possuem sempre uma janela na entrada leste na qual nunca olham por ela, pois a consideram a passagem sagrada para os espíritos trazerem harmonia ao lar.

Idiomas e Nomes.

Por não ser um povo “civilizado”, sua língua não possui um alfabeto sendo este ensinado de geração em geração, assim como seus contos e lendas, como dificilmente se aventuram raras exceções aprendem o dialeto comum.

Os membros da tribo Wose só são nomeados quando fazem três anos de idade, recebem nomes baseados em seu comportamento e hábitos ou algum evento que tenha marcado sua infância, até o momento de receberem seus nomes oficias são chamados por apelidos dados por seus pais. Dizem que o próprio nome dado à etnia derivou do primeiro líder Wose.

Espada Emush

Espada Emush

Espada Emush: Arma exótica corpo-a-corpo de uma mão (tamanho médio); obra prima, custo: 300 TO; Dano 1d8 (cortante); Decisivo: 19-20/x2; Peso: 3 kg.

Os Wose não possuem tecnicas de forja muito avançadas, as raras espadas Emush que as tribos possuem foram obtidas através de comércio com ferreiros da Antiga Tamura (Fortalecendo a teoria de que os Wose migraram de Tamu-ra), porem eles obtiam apenas as lâminas o designer do punho e da bainha são esculpidos pelos proprios homens da tribo, as esposas faziam o suporte da espada com tiras formando uma cinta comprida de modo que a espada poderia ser exibida com orgulho.

Ao contrario dos Tamurianos, os Wose não usam suas espadas em batalha, eles as consideram itens espirituais e as utilizam apenas em rituais para afastar os maus espíritos.

Novos Talentos:

À Luz Das Estrelas [Destino]

O personagem se recupera mais rapido quando dorme ao ar livre, sob as estrelas, sentindo o mundo ao seu redor.

Benefício: Quando dorme a luz das estrelas (isto é, ao ar livre, à noite, em vez de em uma tenda ou edifício), a taxa de cura natural do personagem dobra.

Habitante de território hostil [Destino]

Sua terra natal esconde mais perigos que as regiões de clima e relevo mais ameno. Crescer neste local acabou lhe ensinando lições de sobrevivência que lhe permitiram conviver mais a vontade com as condições naturais.

Pré-requisito: treinado na perícia escolhida.

Benefício: Você ganha um bônus de +2 em duas das seguintes pericias a sua escolha: Adestrar Animais, Atletismo ou Percepção. Você também ganha um bônus de +2 nos testes descritos no talento Tolerância (Tormenta RPG, pag. 110). Finalmente considere Sobrevivência como perícia de Classe.

Resistencia a Frio [Regional: Montanhas Uivantes, Grande Norte]

Você está habituado à vida dura no frio e no gelo.

Benefício: Você recebe +4 de bônus em testes de resistência contra efeitos e magias de frio.

===

Sobre Renan "Slay" Cação
Monge descendente de Dragões Tamurianos e Youkais, jogador de RPG a quase 10 anos, fã de Tormenta, mestre Pokémon, Nerd assumido, sonha em ser o Rei dos Piratas nas horas vagas.

7 Responses to O Grande Norte: As Tribos Wose

  1. Hodrigo diz:

    Muito boa a descrição. Só achei meio exagerado o talento “Habitante de território hostil”, porque além dos bônus ele dá o benefício de outro talento(treinado em perícia), mas fora isso tá beleza.

  2. Edu Guimarães diz:

    Renan, seja bem vindo a Área de Tormenta! Que este seja o primeiro de muitos posts.

    A descrição está ótima, mas é meio brochante pensar na emush apenas como amuleto😦 fazer o que? cultura é cultura. No entanto, podia haver um talento ou algo assim para xamãs e feiticeiros que usassem as espadas como foco para magias. Ou a emush podia dar +1 de bônus em alguma resistência, desde que não fosse usada como arma.

    Concordo com o Hodrigo que o talento do Habitante de território hostil está exagerado. Na verdade, não o acho “apelão”, mas pouco focado, sem personalidade. No entanto, não tenho uma sugestão mecânica no momento para solucionar este problema.

    “A Luz das Estrelas” tá muito bacana. Dá um ótimo talento regional, ao meu ver.

  3. Renan "Slay" Cação diz:

    Valeu Edu, espero conseguir desenvolver muitos materiais a altura dos já presentes aqui no AdT.
    Bem sobre o Talento “Habitante de território hostil”, eu não consegui especificar muito bem o talento, na verdade o meu intuito era caso o personagem tenha o Talento “Tolerância” ele receberia os acréscimos, não consegui deixar isso muito claro.
    Se mudar para “Benefício: Você ganha um bônus de +2 em duas das seguintes pericias a sua escolha: Adestrar Animais, Atletismo ou Percepção. Considere Sobrevivência como perícia de Classe”. E deixar todos como [Regional] será que ficaria melhor O.o?

    Então Edu eu também achei meio broxante e tal, mas como não sou o maior perito em classes usuárias de Magia, qualquer dica ou ideia para melhoria seria interessante.

    Obrigado pelos comentários.

  4. Nume diz:

    Opa,

    Numa olhada rápida, um erro que percebi na espada: o preço deveria ser maior, já que deveria constar o preço da arma padrão + os 300 TO de custo de se produzir uma arma obra-prima (mesmo que não existam armas do tipo que não sejam obra-prima). Minha sugestão são 315 TO, já que ela é basicamente uma espada longa exótica.

    Aliás, qual o valor de pegar um talento para usar uma arma que basicamente é uma espada longa? Seria melhor tornar ela marcial ou então aumentar os atributos dela, talvez um dano de 1d10 ou crítico x3.

    • Renan "Slay" Cação diz:

      Então Nume é que elas são praticamente uma Katana, vou dar uma mudada no valor como você indicou. E nem me liguei muito no dano, pois os próprios Wose não as usam em combate, usam em rituais para os deuses da natureza, coloquei os status de combate, pois vai saber quando um guerreiro da tribo resolva quebrar as regras e saia se aventurar brandindo uma.
      Terminar meu material da Liga e atualizar com as dicas dadas até o momento.

      Valeu pessoal, aguardo mais comentário o/

      • Edu Guimarães diz:

        Olhando a foto a emush parece mais curta que uma katana (que é equivalente a espada bastarda, inclusive no fato de ser exótica), logo, acho mais interessante que ela seja uma espada longa mesmo (1d8 de dano), e marcial, não exótica (como o Nume colocou).

        Sugestão de talentos:
        (1) Ganhe uma emush (arma obra-prima), a espada é um amuleto, fornecendo +1 de bônus em todos os testes de resistência. No entanto, emush usadas como amuleto NÃO podem ser usadas como arma. Uma emush maculada com sangue perde automaticamente estas habilidades.
        (2) Pré-requisito: talento 1. Conjuradores recebem +1 na CD de suas magias quando a conjuram usando a emush como foco. Emush usadas como arma perdem esta capacidade.

    • Edu Guimarães diz:

      Nume parabéns! Seu 1º post no AdT foi nosso 100º post!!!

      Como prêmio vc ganhará dois MaxGoiabinhas ou MaxChocolates na próximo RPGCON, fornecidos pela surrealíssima Caravana Surreal do Rio de Janeiro!😛

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: